quarta-feira

26/03/2013 Policial atira após ter carro atingido por pedra, mas atinge um inocente

Marcadores:

Caso ocorreu em frente à delegacia do município de Raposa. Bala acertou o peito de um eletricista que estava sentado em uma praça.

Uma confusão no município de Raposa, na região metropolitana de São Luís, terminou em tiros. Um homem, que teria deficiência, jogou uma pedra no carro do policial civil Manoel de Jesus Pavão, que reagiu sacando uma arma.
O tiro atingiu uma terceira pessoa que passava pelo local. Alcides Diniz Rodrigues Neto, que é eletricista, foi atingido enquanto estava sentado no banco de uma praça que fica em frente à Delegacia da cidade.
De acordo com testemunhas, que viram como tudo aconteceu, o policial civil que tem mais de 30 anos de profissão e é lotado na delegacia da cidade. Ele teria fugido sem prestar socorro à vítima.
A bala acertou o peito de Alcides. Amigos e familiares do eletricista o levaram para um hospital público de São Luís. Uma drenagem toráxica foi feita no início da tarde. A irmã da vítima não registrou a ocorrência. Informações dão conta de que a vítima já está fora de perigo.
Uma viatura da Polícia Militar passou o dia em frente à delegacia para evitar uma possível revolta da população. A tentativa de homicídio será investigada pela Superintendência de Polícia Civil da capital.
De acordo com a Delegacia Geral, as buscas para encontrar Manoel Pavão irão continuar. Além de um procedimento administrativo junto à Corregedoria, a Secretaria de Segurança Pública vai pedir a prisão preventiva do policial.

"Nós solicitamos à Superitendência que fosse aberto um inquérito policial e um processo administrativo. Já foram ouvidos os irmãos da vítima. Estamos pedindo a prisão do policial, já que ele se evadiu do local. É um ato muito grave. A partir do momento que ele cometeu a infração e não se apresentou, ele é entendido como foragido. Sobre esse caso, reza também nosso estatuto", explicou o delegado geral Marcos Affonso.
|

Nenhum comentário:

Postar um comentário